Essencial para vivermos em paz, o amor-próprio pode (e deve!) ser desenvolvido ao longo da vida. Conheça seis pilares importantes para sua sustentação e veja como fortalecê-los

1 – ACOLHA-SE POR COMPLETO
Todas nós, sem excessão, somos uma combinação de qualidades e defeitos, potencialidades e fraquezas. E, para nos amarmos de fato, é preciso abraçar essas duas polaridades. “O lado mais obscuro da nossa personalidade, que o psiquiatra suíço Carl Jung chamou de sombra, é formado por aspectos que nós insistimos em negar, por diversos motivos. No entanto, essa negação acaba nos levando a conflitos internos. Devemos olhar para esses pontos não tão bonitos com atenção e paciência, pois é à medida que nos conhecemos melhor que conseguimos jogar mais luz na sombra”, diz a psicóloga Lizandra Arita (SP). Um pensamento atribuído ao líder religioso dalai-lama vai além nesse sentido. “Estar ciente de um único defeito dentro de si mesmo é mais útil do que estar ciente de mil em alguém. Porque o seu você pode mudar”. Tenha em mente que estamos em processo de crescimento e evolução pessoal. Sempre!

2 – LIVRE-SE DA CULPA
É difícil olhar para as coisas boas que temos em nós mesmas — e que acontecem todos os dias à nossa vida — quando nosso coração está carregado de remorso. “Esse sentimento nos impede de andar para a frente, pois nos mantém presas a crenças limitantes”, pondera a psicóloga Katia Larsen (RJ), instrutora de ThetaHealing®*. Por isso, livre-se desse peso! Focar no presente pode ajudar nessa tarefa, afinal nos dá a clareza de que esse é o único tempo que permite nossa real atuação. Se o passado foi marcado por experiências negativas e que deixaram marcas, tente pensar que todo novo dia apresenta possibilidades para fazermos diferente e melhor. Nem sempre é fácil, é verdade. A terapia pode ser uma aliada e tanto nesse processo.

3 – AMPLIE SEU CONCEITO DE BELEZA
Nos dias de hoje, cometemos o engano de reduzir a ideia de beleza à aparência física. E mais do que isso: acabamos acreditando que o belo está no padrão imposto pelas musas da TV, das passarelas… Quanto atraso em plena era da diversidade! “Costumo dizer que, em matéria de beleza não há ‘mais que’, mas sim ‘diferente de’. A beleza não está no padrão, mas nas particularidades”, destaca o psicólogo Marco Antonio De Tommaso (SP). E o expert vai mais adiante, nos incentivando a olhar para outros pontos que nos tornam bonitas e atraentes, tais como simpatia, humor, autoconfiança, inteligência, e por aí vai… Invista nas características e atividades que soem prazerosas para você e seu brilho natural certamente ficará mais intenso. “Mulheres mais satisfeitas com outras áreas de sua vida, no geral, estão mais satisfeitas com a própria aparência também”, completa Marco Antonio.

4 – CERQUE-SE DE PESSOAS GENEROSAS

Sabe aquela amiga que elogia o seu look sempre que você dá aquela caprichada? Ou aquele primo que vive comentando o quanto você arrasa quando organiza os eventos da família? Pois bem: pessoas assim são grandes aliadas quando o assunto é a manutenção da sua autoestima. Para começar, porque sentir-se aceita e querida por aqueles que nos cercam é de extrema importância: nos sentimos mais seguras automaticamente. “Além disso, quando nos dão esses feedbacks positivos e reconhecem nossas qualidades, passamos a olhar para nós mesmas com mais credibilidade e admiração”, diz a psicóloga Lizandra.

5 – RESPEITE SUA VONTADE
Na ânsia de sermos aceitas por alguém – ou por um grupo – muitas vezes nos calamos e deixamos de expressar opiniões e desejos. Aos poucos, vamos ficando sem voz ativa, e mais do que isso: amargamos a frustração de vermos sempre prevalecer o que o outro prioriza. É claro que é preciso haver um equilíbrio, pois não dá para ser a dona da razão e ter os próprios desejos atendidos sempre. “No entanto, quando aceitamos a vontade do outro repetidamente, mesmo que isso nos desagrade muito, estamos passando por cima do nosso amor-próprio e perdendo nossa identidade”, diz Lizandra. Por isso, nada de se omitir: coloque-se – sempre com respeito, é claro. Você vai ver que os laços e as afinidades que surgirem a partir das suas manifestações serão muito mais sinceros e proveitosos.

6 – EVITE COMPARAÇÕES
Cada pessoa é um universo e, portanto, pensa, sente e funciona de uma maneira. Daí por que ficar se comparando com os outros é uma verdadeira cilada: em algum ponto, sempre vamos nos sentir em situação de desvantagem. O melhor mesmo, garantem os especialistas, é colocar-se como própria referência. Em vez de mirar no sucesso do outro, por exemplo, experimente colocar como meta ser melhor do que a sua própria versão de ontem. “Foque nas suas qualidades e empenhe-se em desenvolver aquilo que precisa aperfeiçoar”, orienta Katia. Em vez de assumir um tom de competição, quando encontrar em alguém uma característica que gostaria de ter, inspire-se e busque melhorar.

Fonte: Clique aqui

Veja Também