Meu corpo meu templo

Corporificando sua história e liberando padrões limitadores
Música, arte e expressão

Katia Larsen é psicóloga, exploradora da psique humana e do universo terapêutico dentro de um enfoque integralista que contempla as visões acadêmica e holística. Nascida de uma família mineira com muitos scripts limitadores sobre o papel e a expressão da mulher na sociedade, ela se define como uma peregrina das muitas regiões do saber, uma exploradora incansável e com larga experiencia em recursos terapêuticos focados na ruptura de padrões e de crenças limitantes, tão limitantes que podem não apenas interferir, mas impedir a expressão de potencialidades e habilidades diretamente relacionadas com a realização de cada ser humano.

Bisneta de indígena peruana curandeira das ervas, teve como avó materna uma mulher muito a frente do seu tempo; e como não poderia ser diferente, para honrar uma linhagem ancestral de mulheres sábias, Katia é filha de uma notável artista plástica que fez da arte um caminho de cura e regeneração pessoal. É pioneira no ensino da “Psicoterapia de Abordagem Integral” no Brasil (Teoria Integral, Ken Wilber) e do sistema “Aweked Mind Process”, um conjunto de práticas meditativas voltadas para o despertar da consciencia (desenvolvido por Anna Wise). Recentemente, Katia recebeu o chamado para ser iniciada por Qoyas peruanas, sacerdotisas da sabedoria feminina ancestral com as quais pôde conviver e receber ensinamentos transmitidos somente por tradição oral. É também membro colaboradora da Tree sisters, Arteterapeuta, Consteladora, Psicologia Formativa (a história pessoal e a estrutura corporal), Mestrado na Lesley University em Clinical Mental Health: Holistic studies, Instrutora master de Thetahealing e facilitadora de SoulCollage. É amante da música e da expressão corporal como instrumentos (e como caminhos) de cura.
.
“A jornada ao encontro de si mesma é uma descoberta sem hora marcada, pois somos seres enraizados no infinito e nele nos movemos e vivemos; mas podemos trilhar essa jornada em coerência com nosso ritmo interno afinado e responsivo ao ritmo cósmico”.

“Foi desvendando a beleza da alma e reconhecendo a totalidade dentro do meu ser com humildade, beleza e pureza que o trabalho da Jornada do Divino Feminino nasceu com o propósito de honrar e vivenciar o sagrado feminino que habita dentro de mim e de todas as mulheres”.

“A cura da ancestralidade feminina em nós se dá quando entramos em contato com as feridas(dores, exclusão, abusos, negação, rejeição, etc) para que sejam transformadas pela consciencia do amor e da compaixão integradas em nós”.

“Vivo em estado de profunda gratidão pela oportunidade de revisitar o caminho percorrido pelas mulheres que me antecederam e que me possibilitaram estar aqui e agora. Dessa forma, continuo o trabalho para que minhas filhas Isabella, Talyta e Carolina escrevam suas próprias histórias liberadas da reedição da dor e do sofrimento vividos pelas nossas ancestrais. Que elas possam ser livres e conquistar o direito de receberem somente a força e a coragem das mulheres que as antecederam!”

Assim nasceu o profundo desejo de compartilhar com muitas mulheres essa Jornada…

Encontros quinzenais
Das 19h às 22h
Próximas datas: Abril – 26 | Maio – 10, 24 | Junho – 07, 21

Veja Também